Hospital Santa Virginia - Institucional - Notícias



Prevenção de quedas em idosos

Em 24 de junho, é celebrado o Dia Mundial de Prevenção de Quedas, data instituída pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para alertar sobre o risco de queda, especialmente em idosos, que hoje representa um grave problema de saúde. 

Confira orientações do Dr. Alexandre Fortini, geriatra do Hospital Santa Virgínia, para aumentar a segurança na sua casa e saiba como socorrer um familiar em caso de acidente. 

FATORES DE RISCO

Algumas condições de saúde podem aumentar o risco de quedas e fraturas, sobretudo em idosos. Por isso, é recomendável consultar o geriatra periodicamente para a realização da avaliação clínica e dos exames necessários.

Osteoporose

O tratamento de reposição da vitamina D ajuda na manutenção da força muscular, favorecendo a calcificação dos ossos e, consequentemente, prevenindo as quedas na terceira idade.

Pressão alta ou baixa

Pacientes com oscilação na pressão arterial, arritmia cardíaca e outros distúrbios cardiovasculares podem ter maior risco de tonturas, desmaios e quedas. Faça o acompanhamento com seu cardiologista.

Problemas oculares

As alterações visuais precisam ser corrigidas, por exemplo, a presença de catarata ou de glaucoma, que dificultam a visão, podendo levar o paciente a tropeçar e cair. Consulte o oftalmologista, pelo menos, uma vez ao ano.

Saúde mental

Disfunções cognitivas, mesmo que leves, precisam de acompanhamento profissional e de tratamento adequado. O controle do estresse e atividades para aumentar a atenção podem ser benéficos.

O QUE FAZER EM CASO DE QUEDA?

O Dr. Alexandre Fortini, geriatra do Hospital Santa Virgínia, orienta a seguir esses passos ao prestar socorro ao paciente:

- Verifique se ele está consciente, qual é o nível de dor e se há presença de sangramentos ou fraturas;

- Se o idoso não conseguir se mexer sozinho, faça  o mínimo de movimentação possível e chame o socorro imediatamente*. Sugestão: deixe os contatos de emergência em local visível e de acesso a todos;

- Mesmo que não haja lesões aparentes, é prudente levá-lo para avaliação médica, para assegurar que não ficaram sequelas.

*Estudos indicam que os primeiros 60 minutos de prestação de socorro (a chamada "Golden Hour") são cruciais, podendo determinar as consequências físicas e psicológicas da queda. 

Protocolo de Prevenção de Quedas

No Hospital Santa Virgínia, a  segurança do paciente é prioridade. Assim, os profissionais da equipe multidisciplinar são capacitados para as melhores práticas, atendendo as exigências do Protocolo de Prevenção de Quedas. Os acompanhantes e os pacientes recebem orientações e são envolvidos no processo assistencial para minimizar os riscos de queda e garantir a segurança durante e após a internação.

Contribuiu com este conteúdo:

Dr. Alexandre Soriano Fortini, geriatra do Hospital Santa Virgínia | CRM: 82.829

Fonte: Assessoria de Comunicação do Hospital Santa Virgínia | Publicado em: 24/6/2020

 Imprensa  Centenário  Contato
Av. Celso Garcia, 2.294 - Belém - São Paulo/SP
Hospital Santa Virgínia © 2020